Sobrenatural Brasil
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

CRESCENDO EM UMA CASA ASSOMBRADA

Ir em baixo

default CRESCENDO EM UMA CASA ASSOMBRADA

Mensagem por † Lobo † em Qui 19 Jan 2012 - 2:20

Quando eu era uma garotinha, eu morava em uma casa assombrada. Aconteciam um monte de coisas, muitas para contar para vocês. Mas tem algumas, que eu me lembro claramente, que eu gostaria de compartilhar com vocês.

Eu realmente não sei quando começou, eu só sei que parece que a casa sempre teve algo de estranho. A casa era novinha e nós éramos as primeiras pessoas a morar lá, então eu acho que tinha algo a ver com o terreno, apesar de eu não saber da história dele.

Coisas sempre sumiam, algumas eram encontradas mais tarde, e algumas nunca mais eram vistas. Havia pontos frios por toda a casa, mesmo durante o verão. Onde nós morávamos é bem quente, mas não tínhamos ar condicionado, então os pontos frios não eram disso. A família inteira sentia esses pontos frios e as vezes também víamos uma sombra negra em quase todos os cômodos da casa, geralmente a noite, mas as vezes em plena luz do dia.

O meu irmão falou que algo pegou as cobertas dele numa noite e os escondeu. Ele acordou mais tarde com frio e teve que procurar o cobertor e o lençol até achá-los no armário.

AS vezes algo chamava o nome da minha mãe no meio da noite, e ela levantava para ver o que podia ser e todos estavam na cama dormindo, não tinha ninguém acordado. Não tinha ninguém em nenhum canto da casa, pelo menos ninguém que ela pudesse ver, mas ela falava que podia sentir o que quer que fosse aquilo.

O meu irmão encontrou um amigo dele uma vez e perguntou para ele porque ele não ia mais em casa. Ele falou que nunca mais queria chegar perto da nossa casa. Quando o meu irmão perguntou o porquê, ele contou essa história: Ele falou que foi lá numa tarde, quando estava quase escurecendo, ver o meu irmão, mas não tinha ninguém em casa, então ele resolveu ficar esperando no carro. Ele falou que depois de um tempo, enquanto ele estava no carro, uma pessoa saiu de trás da casa, vestia uma espécie de manto com capuz que cobria o corpo e o rosto inteiro, e começou a andar na direção do carro. Ele achou que era o meu irmão querendo assustar ele, então ele simplesmente ficou lá parado dentro do carro. Mas na metade do caminho ele conseguiu ver alguma coisa debaixo do capuz, um rosto com uma pele mais negra que a noite, que mais parecia uma casca (ele falou que lembrava bastante pele de réptil, tipo do jacaré), com dois olhos azuis que pareciam cristais. Quando ele chegou um pouco mais perto, ele podia ver um leve brilho alaranjado saindo daquela pessoa. Aquilo foi o suficiente para assustar ele, então ele tentou ligar o carro para sair de lá o mais rápido possível, mas o carro não ligava. Ele tentou feito louco fazer o carro pegar. Ele estava quase saindo do carro para ir correndo mesmo, quando o carro pegou. Ele estava saindo com tudo e olhou para o lado e aquele pessoa estava só a uns 3 metros do carro. Ele foi de ré o mais rápido que ele podia até a estrada de terra, virou o carro e se mandou de lá. Ele falou que quando chegou na estrada, quando ele estava virando o carro, ele olhou para trás para ver onde a pessoa estava, e ela estava em pé bem onde o carro estava parado antes, olhando para ele com aqueles olhos azuis e frios. Depois disso ele nunca mais voltou para a nossa casa.

Mais uma coisa que é realmente estranha, nós vivíamos no campo, na periferia de uma cidadezinha pequena. Na vizinhança inteira da nossa área, não tinha mais do que 40 pessoas morando, que queriam fugir da vida estressante de São Paulo. O centro da cidadezinha ficava a uns 30km de onde estávamos. Estávamos bem no meio do mato mesmo, cheio de animais silvestres por toda a nossa volta, incluindo um monte de pássaros. Nós morávamos em um morro que era o ponto mais alto das redondezas, mas nunca teve passarinho nenhum no nosso quintal ou em nenhum lugar dentro dos 5 acres que eram da minha família.

A minha mãe ainda mora na casa, mas agora ela esta sozinha lá. Todos os filhos se casaram e se mudaram, e agora temos as nossas casas. O meu pai faleceu em 1986.

Ela fala que ainda sente o que quer que seja que tem por lá, e de vez em quando ainda vê as sombras e ainda é acordada no meio da noite com alguém chamando o nome dela, mas agora ela já está acostumada com isso tudo e fala que o que quer que seja não incomoda ela, a não ser pelas coisas que somem.

Ainda não há pássaros pelo quintal.

Taty - S.P.
Fonte: alemdaimaginacao.com
Bom Medo ExtremoCRESCENDO EM UMA  CASA ASSOMBRADA Novas10
† Lobo †
† Lobo †
ADMINISTRADOR

Mensagens : 2236
Data de inscrição : 28/11/2011

Ver perfil do usuário https://www.sobrenaturalbrasil.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum