Sobrenatural Brasil
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

NÃO BRINQUE COM O DESCONHECIDO

Ir em baixo

default NÃO BRINQUE COM O DESCONHECIDO

Mensagem por † Lobo † em Sab 4 Fev 2012 - 17:50

Isso foi algo que aconteceu com a minha tia, a irmã da minha mãe.

A minha tia fazia o jogo do copo do seguinte jeito, ela pegava um espelho, escrevia o alfabeto nele, escrevia os números e escrevia um sim e um não. Então ela pegava um copo leve e pequeno.

A minha mão sempre falou para eu não brincar com isso, e ela elaborava muito bem a sessão de tortura pela qual eu passaria se desobedecesse ela. Por causa disso e outras coisas, eu nunca tive vontade de fazer isso, e depois de ler algumas histórias sobre as pessoas que fizeram, eu me sinto aliviada por nunca ter feito a brincadeira o copo.

Agora, a história.

O meu tio era um alcoólatra de carteirinha, até o dia que ele morreu. Ele foi internado uma vez em uma clínica de recuperação bem longe de casa. A minha tia decidiu que ia fazer o jogo do copo para perguntar se as coisas melhorariam. Ela estava fazendo isso com as duas filhas dela (minhas primas). O plano era tentar fazer contato com o meu avô, mas acabou contatando a minha avó, e ela se recusava a deixar qualquer outro espírito se comunicar com a minha tia.

A minha tia e as minhas primas começaram a provocar o espírito da minha avó (não me pergunta, não tenho idéia do que se passou pela cabeça de titica delas, para elas fazerem isso) e para a surpresa delas o copo pulou no ar rodando e caiu no chão do lado delas. Eu não sei se elas continuaram com o jogo depois disso ou se pararam (o que qualquer pessoa em pleno juízo teria feito, mas eu não duvido daquelas três). Depois disso coisas começaram a acontecer.

Na casa dela a cozinha fica do lado da sala de jantar, e o telefone fica na sala. As vezes quando ela falava com a minha mãe no telefone, você podia ouvir os armários batendo na cozinha. "Ele" ou "ela" tirava as panelas do armário e usava como se fossem uma bateria. Isso acontecia durante o dia, quando a filha mais nova dela estava na escola e a mais velha trabalhando. Ela sempre estava sozinha em casa.

A garagem divide uma parede com a cozinha. O portão da garagem está sempre trancado, e não tem nenhum outro jeito de entrar lá a não ser pelo portão. As vezes quando você estivesse na cozinha conversando, dava para ouvir batidas na parede.

As vezes você podia ver a sombra (de um homem, elas acham) observando você. Outras coisas também aconteciam, mas essas são as coisas mais marcantes.

Depois que o meu tio saiu da clínica de recuperação, ele foi "comemorar" a melhora dele enchendo a cara. Ele nunca deixou de beber,o que custou o trabalho dele e estava destruindo o casamento também, o que levou ele a se suicidar mais tarde. A minha tia vendeu a casa depois disso, então não tem como saber se as coisas estranhas ainda acontecem por lá.

Eu espero que você tenha gostado da minha história.

Anônimo - Rio de Janeiro - RJ
Bom Medo ExtremoNÃO BRINQUE COM  O DESCONHECIDO Novas10
Fonte: alemdaimaginacao.com
† Lobo †
† Lobo †
ADMINISTRADOR

Mensagens : 2236
Data de inscrição : 28/11/2011

Ver perfil do usuário https://www.sobrenaturalbrasil.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum